MOC realizou oficina sobre mercados cooperativos

MOC realizou oficina sobre mercados cooperativos

18/09/2019

Durante os dias 16 e 17 de setembro, aconteceu dois dias intensos de debates e conversas com uma construção dialogada, em Feira de Santana e aproximadamente 30 pessoas participaram da primeira Oficina do Laboratório de Estrutura de Mercado, Cooperação e Associativismo, com a participação da equipe técnica do Movimento de Organização Comunitária (MOC) e os grupos assessorados pelo MOC através do Projeto Mais Gestão. O facilitador da atividade foi Delson Oliveira que contribuiu bastante com a oficina.

Um dos principais objetivos da oficina é trazer um conceito sobre mercado a partir de uma outra lógica tendo como referência o processo de cooperação, reconhecendo o mercado como um espaço real onde se dá a apropriação ou expropriação do resultado do trabalho. A oficina abordou, primeiramente, sobre o mercado e suas estruturas sistêmicas e relações sociais de trabalho, também teve a temática de associativismo como instrumento de cooperação, com o intuito de promover a união e organização dos associados do Projeto Mais Gestão. Em seguida, a oficina de cooperativismo tratou questões relativas a cooperação, estrutura, normas de conduta, valores, princípios e a relação econômica de uma cooperativa.

 “Ontem finalizamos a Oficina sobre Mercados Cooperativos, refletimos sobre o que mercado queremos e que mercado estamos alimentando, apontamos possibilidades de praticar a economia colaborativa e solidária. Agradecemos a Delson por sua contribuição e parceria. ”, ressaltou Célia Firmo, Coordenadora Geral do Movimento de Organização Comunitária (MOC).

Durante o debate o facilitador mostrou alternativas necessárias de viabilização das atividades econômicas, possibilitando aos associados um caminho efetivo para participar do mercado em melhores condições. A oficina também foi um espaço para muita reflexão e também foi palco para compartilhar experiências e desafios enfrentados pelos associados do Projeto. Outro fato de destaque da oficina foi a percepção dos participantes de que eles nem sempre precisam optar por uma solução pronta e que podem mesclar alternativas para gerar o resultado mais adequado a cada empreendimento.

 “Essa oficina surgiu como uma inquietação para aprofundar um pouco sobre o que é de fato a estrutura de mercado, como isso funciona, se o mercado é algo do capitalismo ou uma estrutura que estabelece as relações sociais do trabalho, onde se apropria ou desapropria o resultado desse trabalho, que eu acredito particularmente que o mercado é uma estrutura permanente, agora o funcionamento dele é constante. A apropriação ou expropriação dos resultados é que determina qual tipo de sociedade em que vivemos, se é uma sociedade justa ou injusta, porque por exemplo a gente sabe que boa parte do que é produzido através do sistema de intermediação, conhecido como atravessador é que se apropria da maior parte do resultado dos trabalhos”, frisou Delson Oliveira.

João Luiz, representante da Associação comunitária dos pequenos Agricultores de Caldeirão, acompanhado pelo Projeto Mais Gestão e desenvolvido pelo MOC, conta um pouco da sua experiência com a oficina. ”Foi uma oficina que me possibilitou inúmeras abordagens do que é o mercado, como tratar o mercado nas comunidades, além de traçar estratégias de vendas de comercialização, foi possível também através da formação conhecer os sistemas de produção, sistemas de comercialização e os sistemas intermediários. Foi um momento rico, onde participamos debatendo com outras cooperativas e representantes de associações, momentos e oportunidades futuras ao qual a gente vai está desenvolvendo a produção na comunidade e a produção como um todo. Esses momentos devem acontecer porque através dele a gente tem a oportunidade de está acessando ao mercado e acessando novas possibilidades de inserção nos mercados. Nossas comunidades ainda precisam se desenvolver bastante, pois é um processo de base a qual as comunidades precisam e necessitam se empoderar. Esses dois dias de oficina foram bastante produtivos, percebemos a importância de alavancar as cooperativas, associações e com certeza terá grandes resultados no retorno e na aplicação no trabalho da base”, ressaltou João.

Essa oficina potencializou o cooperativismo, estratégia que garante o fortalecimento da agricultura familiar e abordou a necessidade de se organizar associativamente. O facilitador trabalhou numa perspectiva de formação política e de gestão de processo, tudo a partir de uma única matriz mercadológica, essa matriz tem servido para saber de fato o que se quer, definir os pressupostos antes de definir a ação.  

 


Texto e Fotos: Alan Suzart

Comunicação do MOC