Rede Educom do CODETER foi formada no Território do Sisal

Rede Educom do CODETER foi formada no Território do Sisal

04/04/2019

A Rede Educom do Colegiado Territorial (CODETER) do Território do Sisal foi formada durante Oficina Formativa Educomunicativa, promovida pelo Departamento de Formação de Órgãos Colegiados (DFOC), vinculado a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), nos dias 01 e 02 de abril, no município de Serrinha. A formação teve como foco elevar processos formativos com leituras contextuais engajadas na realidade do Colegiado, visando contribuir com movimentos e protagonismo coletivo e pessoal dos diversos segmentos do território, tecendo uma rede de interação para melhor atuação do CODETER.

 

A atividade envolveu uma programação recheada de dinâmicas e músicas, bem como reflexões, contextualizações e conceitos sobre Educomunicação, Território, Territorialidade e Governança Territorial, além de muitos saberes, vivências e experiências compartilhadas, teve também a parte prática com audiovisual, oratória e design, seguindo com socialização das produções. E assim foi marcada pela construção participativa e pelo compromisso com a Rede para que de fato fortaleça o desenvolvimento territorial, dando visibilidade a diversidade de ações e segmentos que  compõe o Território do Sisal, contando assim com as representes de movimentos sociais e populares, instituição de ensino, gestão pública, entre outros. A exemplo do Movimento de Organização Comunitária que esteve presente através da técnica Robervânia Cunha.

 

O diretor do DFOC, Marcelo Rocha abordou sobre o contexto da Educomunicação, seu conceito, ecossistemas, objetivos, métodos e outros, refletindo sobre o modelo da educação tradicional, que tem o professor como centro, que tem alunos apenas como receptores, em contrapartida com Educom que remente a um outro segmento de educar, o de tornar seres pensantes, com atitudes, com vozes, em um processo de troca, de ativar as capacidades de produzir, de ir além, por isso, a necessidade de usar as tecnologias (e seus avanços) em favor do bem comum, das lutas e organizações do povo.

 

A Educomunicação se baseia no acontecimento, nas realidades concretas. Gera auto-organização e se propaga de maneira a não estabelecer um centro que domina e um conjunto que lhe é subordinado. Ao contrário, promove autonomia dos sujeitos e estimula-os a ser protagonista de suas realidades. Propósitos, críticos, em redes colaborativas”.

 

E para Edivan Neves (membro DFOC) essa realidade precisa ser visibilizada com as ferramentas tecnológicas mais acessíveis, mas buscando sempre a qualidade e o foco diante das pautas que anuncia e denuncia. Com a sua colaboração os/as participantes produziram vídeos, levando a prática da pré-produção com o roteiro, produção das imagens e sons e na pós-produção com a edição, ambos realizados com celular acessível, pratica e funcional, que sabendo usar torna uma ferramenta de poder, na praticidade e agilidade que o mundo digital exige na atualidade.

 

“A palavra é gratidão. Não apenas pelos conhecimentos práticos e teóricos compartilhados e somados na bagagem de cada um/uma, mas pela leveza e metodologia adotada durante os dois dias intenções de oficina, pela a boa interação e amizades construídas, isso tudo renovou e energizou a caminhada, e está rede significa neste momento a resistência de continuar a luta e tentar novas possibilidades”, ressaltou Robervânia Cunha durante avaliação da oficina.

 

“Tente. E não diga que a vitória está perdida. Se é de batalhas que se vive a vida. Tente outra vez”.




Por: Robervania Cunha

Programa de Comunicação do MOC - PCOM

Foto: Edivan Neves (DFOC)