MOC assinou Convênio ECOFORTE com a Fundação Banco do Brasil

MOC assinou Convênio ECOFORTE com a Fundação Banco do Brasil

26/03/2019

Um ato exitoso e importante de celebração aconteceu na manhã desta terça-feira (26) de março, na sede do Movimento de Organização Comunitária (MOC), Feira de Santana/BA, com a assinatura do Convênio ECOFORTE, entre o MOC e a Fundação Banco do Brasil, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


O ECOFORTE visa contribuir com organização de redes de empreendimentos, com disponibilidades de recursos para financiar a construção ou reforma de instalações, bem como a aquisição de máquinas, veículos e equipamentos, como ainda capacitações e serviços técnicos especializados, além de gestão e assistência técnica dos projetos apoiados, voltados para redes de organizações de extrativismo ou produção orgânica com base na agroecologia.

 

Segundo a Coordenadora Geral do MOC Célia Firmo a elaboração do projeto para esse edital foi realizado em 2017, com entidades de todo Brasil e o MOC concorreu para apoiar grupos de mulheres da economia solidária e agricultura familiar que trabalham com a produção extrativista. “A ideia desse projeto é apoiar esses grupos para melhorar no processo de produção, com formações, mas também com aquisição de equipamentos (...). Por isso, o nome do projeto será Amigas da Caatinga, pois o projeto vai ser voltado para produção de alimentos e artesanatos, a partir do que a caatinga nos oferece, mas também o projeto visa proteger essa caatinga, a gente fazer o uso sustentável  desses produtos”, frisou Célia Firmo.

 

A mesa de assinatura foi formada por José Jerônimo de Morais (Presidente do MOC), Arilson Oliveira (Gerente Geral da Fundação Banco do Brasil),  Joseane Lopes (COOPEREDE) e Jaci Barreto (MMTR). E contou com a participação de representantes dos Empreendimentos Econômicos Solidários dos municípios onde será executado o projeto Amigas da Caatinga, sendo: Araci, Barrocas, Feira de Santana, Riachão do Jacuípe, Retirolândia, Santaluz, Santanópolis e Teofilândia, como também a presença da Gerente do MOC no Banco do Brasil Aline e a equipe da instituição que desenvolverá o projeto.

 

Arilson Oliveira destacou que a Fundação Banco do Brasil (FBB) chega a esse momento com grande satisfação, parabenizou ao MOC pela conquista e por ser uma organização com valores e princípios que são aplicados em seu trabalho com as comunidades, pois é um processo muito rígido para chegar até a aprovação e liberação de recursos. Mencionou ainda que a ideia do FBB é colaborar com a geração da economia local e fortalecer os processos produtivos, que são fomentados nas comunidades.

 

 “A Fundação Banco do Brasil fica muito feliz, ao ver que nos estamos ajudando realmente o Brasil a crescer de forma sustentável, porque nos não podemos mais machucar os nossos ecossistemas e a caatinga é um dos mais fortes e mais belos que existe, ela é muito rica e tem muito a ser explorada, mas de forma sustentável para manter esse patrimônio com relações boas. A Fundação Banco  do Brasil enxerga muito isso no MOC com seus mais de 50 (cinquenta) anos, por isso, queremos fortalecer as comunidades de vocês. Nos somos muito honrados de participar desse projeto junto com vocês. Muito obrigado por nos permitir participar com vocês”, enfatizou Arilson Oliveira.

 

“Ter um Banco que criou uma Fundação é muito significativo. A Fundação Bando do Brasil tem outro sentido, diferente dos Bancos comuns, de exceder os serviços e recursos para reforçar esse movimento do povo. Então nosso agradecimento tanto a vocês que vieram mostrar qual o sentido do MOC e a própria Fundação, porque essa é a apropriação dos instrumentos que governa ou administra o país, ligada diretamente com a população, pessoas que estão no fazer e acontecer. Obrigado a Fundação e a vocês que estão no dia a dia do nosso Semiárido desse SerTão Justo quando Possível e Desejado”, ressaltou o Presidente do MOC José Jerônimo de Morais.

 

Em suma, esse é um momento glorioso, que o MOC celebra de fato uma nova conquista, fruto da resistência em insistência da instituição em contribuir com a garantia de direitos humanos, para uma vida justa e feliz na realidade do Semiárido. Assim, para enaltecer esse momento, além do ato da assinatura, teve a entrega dos produtos da agricultura familiar e economia solidária para a representante do Banco do Brasil e da FBB. como para o querido Presidente do MOC José Jerônimo de Morais. Afinal é um momento de afirmar que o "Sertão é nossa casa, nosso orgulho, terra querida".

 

 

 

PROGRAMA ECOFORTE


"Criado em 2013, o ECOFORTE possibilitou a integração das organizações participantes, com ampliação da participação de agricultores familiares no processo de transição agroecológica, inserção produtiva de jovens e mulheres, melhoria da capacidade de produção, articulação e realização de negócios solidários nas próprias redes. Agora, este projeto contempla quatro Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da Agenda da Organização das Nações Unidas com metas para o ano de 2030. O lançamento desses processos resgata o caráter estruturante do Programa ECOFORTE e visa atender as necessidades de ampliação da capacidade produtiva, a inclusão socioprodutiva, a maturação de empreendimentos e a geração de insumos para a produção. Além disso, permite a continuidade das ações de mobilização, capacitação e intercâmbio de conhecimentos".



Por: Robervânia Cunha

Programa de Comunicação do MOC - PCOM