Mulheres de Araci participaram de Intercâmbio e Marcha Pela Vida das Mulheres e Pela Agroecologia no Polo da Borborema

Mulheres de Araci participaram de Intercâmbio e Marcha Pela Vida das Mulheres e Pela Agroecologia no Polo da Borborema

18/03/2019

Mulheres da Comunidade de Barbosa, município de Araci, na Bahia, participaram de Intercâmbio Interestadual e da Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia que completa 10 anos de existência, no Território do Polo da Borborema, na Paraíba, nos dias 13 e 14 de março, através do Projeto Mulheres das Águas, desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC), em parceria com a Actionaid Brasil e financiado Pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

 

Segundo a técnica do MOC Ádila da Mata, o intercâmbio de troca de saberes e experiências na Paraíba, reuniu mulheres dos estados de Alagoas, Bahia e Pernambuco, oportunizando as mulheres conhecerem algumas experiências da região e levarem para suas vidas e produções agroecológicas. A primeira foi a de Dona Ligoria que teve sua vida transformada, a partir da marcha das mulheres e com a prática do arredor de casa, ela conhece e enfrenta todas as formas de opressões impostas e tira da sua propriedade seu sustento de forma agroecológica, e com muita generosidade partilha com as mulheres um pouco de suas vivências.

 

Houve ainda, uma segunda visita, a um casal jovem que tem a agricultura como a principal renda da família, Delfino (26 anos) e Denise (24 anos), diferenciam a história de vida de outros jovens da região, e tiveram como escolha na vida a Convivência com o Seminário, porém salientam o quanto às vezes é difícil resistir nesse contexto. Uma terceira experiência foi de outro casal, que também prezaram pelos princípios da agroecologia e valorizam a oportunidade que a organização AS-PTA depositou em sua propriedade. Nina e Givaldo contaram com muita satisfação como é feita a produção da poupa, respeitando o tempo de cada fruta e valorizando a terra, sem adição de agrotóxicos.

 

As mulheres que compartilharam suas experiências e regaram as visitantes, com seus saberes, esperanças e incentivos, fazem parte da comissão de saúde e alimentação, que são responsáveis pela Marcha pela Vida das Mulheres e pela Agroecologia, elas têm a marcha como a principal mudança de vida, são mulheres do Polo da Borborema, que integra uma rede de 13 sindicatos rurais da região, que em parceria com a AS-PTA Agricultura Familiar e Agroecologia idealizaram e realizam ano após ano o evento, seguindo os objetivos de: dar visibilidade ao papel das camponesas na agricultura familiar e denunciar todas as formas de violência contra a mulher.

 

Em 2019, o tema que deu vozes e rosto a Marcha foi “Racismo e a mulher negra, bem como a afirmação da Identidade Racial”, em memória de Marielle Franco, exigindo justiça para todas as vidas negras ceifadas pelo machismo, racismo e pela violência de gênero e, inclusive, pela violência de estado. Mariele Presente! Seguiremos em Marcha até todas sejam Livres.




Por: Robervânia Cunha

Programa de Comunicação do MOC