ATER promove Encontro de Mulheres no Março Mulher

ATER promove Encontro de Mulheres no Março Mulher

17/03/2019

Foi realizado na sexta-feira (15) de março, um Encontro de Mulheres em virtude do Março Mulher, mês que celebrar e marca a luta e resistência das mulheres por direitos, igualdade e pela vida. Assim, reuniu-se mulheres das comunidades rurais do município Feira de Santana, que fazem parte da Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) do MOC, executado na parceria com a COOPESER, com o apoio do Governo do Estado.

 

A atividade aconteceu por meio de momento cultural na abertura, reflexão sobre os direitos, destacando o que as mulheres perdem com a questão da Reforma da Previdência Social e oficinas temáticas, tais como: Violência contra as mulheres, Mulheres na Agroecologia, Autoestima e Beleza, Estética e Bem-Estar Emocional e Empoderar-se para Empreender.

 

A agricultora Dilma de Jesus (Comunidade Vila Feliz) relatou ter sido um dia maravilhoso, tanto no primeiro momento, como na oficina que participou. “Na oficina o que nos passou foi muito bom, de colocar em prática algumas ações, procurar fazer mais coisas e ser independente, não baixar a cabeça para ninguém. A gente tem que correr atrás dos nossos objetivos, crer e ter fé que vamos conseguir muita coisa”, contou Dilma.

 

A oficina sobre Empoderar-se para Empreender, segundo a mediadora Lariane Santos  teve como proposito incentivar as mulheres a se ousar mais no sentindo de empreender mais no meio rural, para contribuir com a economia local, seja beneficiando os produtos da agricultura familiar, como frutas e as diversas culturas, como também as atividades não agrícolas, vender outros produtos como artesanatos e cosméticos para aumentar a renda familiar e se empoderar financeiramente, e sobretudo, a oficina refletiu o acreditar mais em si,  que elas podem ser o que elas quiserem.

 

Natália Firmo que corroborou na oficina de Violência contra as mulheres, disse ter sido momentos fortes, nos quais se refletiram desde as dinâmicas até a exposições dos diversos casos em que mulheres sofrem algum tipo de violência, teve ainda relatos das agriculturas que já passou ou precisou ajudar alguém a enfrentar a violência de gênero.

 

Laiza Anunciação e Daniela Silva conduziam a oficina de Estética e Bem-estar Emocional, que envolveu dicas de cuidado e proteção com a pele, assim como a importância da pele para o corpo, além de falar sobre a saúde emocional, pois esta é tão importante quanto a saúde física, foi indicado alguns passos para que as mulheres melhorem sua saúde mental, mudem atitudes e ações que não as fazem bem.

 

Mulheres na Agroecologia foi mais uma oficina que aconteceu durante o encontro, que teve a contribuição de Leonela na qual foi enfatizada sobre o poder e empoderamento que a mulher tem no campo e sobre o seu lugar, que pode ir e chegar onde ela quiser, mostrando para elas que elas podem ter liberdade e independência financeira a partir das produções agroecológicas e dentre outras coisas.

 

Para Antônia Freitas a oficina de Autoestima e Beleza foi realizada com o intuito de enaltecer as mulheres, revigorar sua força, fazer um cuidando com a pele e mostrar o quanto elas precisam se amar mais, no sentindo de se olhar, de se sentir e procurar a sua melhor versão, trabalhando assim o fortalecimento e empoderamento da mulher, o protagonismo feminino, ou seja, trabalhar mesmo a questão da autoestima.

 

Houve ainda um espaço de socialização sobre as oficinas na plenária geral, e uma grande ciranda para finalizar o encontro com muita alegria, risos e confiança no ser mulher. “Essa ciranda não é minha só. É de todos nós. A melodia principal quem tira. É a primeira voz. Pra se dançar ciranda. Juntamos mão com mão. Fazendo uma roda. Cantando essa canção”.




Por: Robervânia Cunha

Programa de Comunicação do MOC - PCOM