MOC realizou Jornada Formativa com integração de projetos de Vínculos Solidários

MOC realizou Jornada Formativa com integração de projetos de Vínculos Solidários

16/03/2019

“Educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante”, Paulo Freire.  Foi com esse olhar de fazer/trazer sentidos para as ações e fazeres no trabalho em campo de cada dia, desenvolvidos nas comunidades rurais com foco nas crianças e adolescentes, que o MOC realizou entre os dias 13 e 15 de março, no município de Conceição do Coité, uma Jornada Formativa Modular para Capacitação de Jovens Multiplicadores/as e equipe de apoio à execução dos projetos. A atividade foi organizada e conduzida pela técnica do MOC Cleonice Oliveira e a Coordenadora Pedagógica do MOC Vandalva Oliveira.

 

Foram três dias à luz dos objetivos de compreender o processo metodológico participativo do MOC e seu desdobramento na prática social das equipes, bem como exercitar estratégias e métodos de motivação e incentivo à leitura contextualizada, com vistas ao trabalho das equipes com as Crianças e Adolescentes para elaboração das mensagens de fortalecimento dos Vínculos Solidários, como ainda refletir sobre diversidades, enfocando a representatividade racial e autoestima, assim como discutir e estimular a utilização de dinâmicas lúdicas/educativas na perspectiva do desenvolvimento infantil e suas diferentes fases, além de orientar a elaboração do planejamento operacional dos projetos na perspectiva do protagonismo infanto juvenil e o desenvolvimento das comunidades.

 

A atividade foi recheada de momentos de troca de saberes e vivências, novos conhecimentos, músicas, mensagens, mistura de diversos sentimentos, alegrias e risos, como as oficinas temáticas de: Metodologia participativa e prática social do MOC, Leitura Lúdica e contextualizada, Diversidade, enfocando a representatividade racial autoestima e sobre Dinâmicas educativas na perspectiva do desenvolvimento infantil  e muito mais, tudo isso para recarregar as bagagens e as energias para os trabalhos de bases das/o jovens em campo.

 

A oficina de Metodologia participativa e prática social do MOC teve como mediadora Vandava Oliveira, que fluiu suas ideias em inquietar e provocar sobre a diferença em educar e ensinar, dialogando sobre saber de onde venho, para só assim saber que caminho tomar e onde quero chegar através do filme Alice no País das Maravilhas Logo em seguida,  em grupos sobre o que é metodologia, responderam que é “renovação, meta de trabalho e de organização, método de trabalho, passo a passo de como fazer o trabalho”, concluindo-se ainda que metodologia é o caminho ou a via para a realização de algo.

 

“A oficina trouxe muito sobre como a gente deve conduzir uma atividade, o que deve ser feito antes, como o planejamento. Através do filme Alice no País das Maravilhas teve uma reflexão muito interessantes sobre a gente perceber onde a gente está e onde queremos chegar, qual o objetivo que a gente tem enquanto jovens multiplicadoras nas comunidades. Foi um dia Bastante produtivo para gente que trabalha com crianças e adolescentes em campo”, destacou Valdice.

 

Na oficina de Leitura Lúdica e contextualizada, a professora Lúcia Martins iniciou com a leitura dos textos Reunião das Flores e Um Jardim de Cada Um de Nye Ribeiro, partindo para refletir através das mensagens, as participantes fizeram memórias de suas vidas e contaram. Depois um momento para dialogar sobre a leitura lúdica, de prazer, que são atrativas e despertar atenção e olhar das crianças. Houve ainda, em círculo uma caixa musical com diversos objetos dentro, cada pessoa pegava um objeto e continuava a história e colocando seu objeto. Teve também conceito de leitura contextualizada e lúdica, letramento, leitura em grupo de historias infantil e apresentação das mesmas, e, para finalizar apresentação da historia o vestido azul e da história Jeito de Ser.

 

“Passarinho de toda cor, gente de toda cor, amarelo, rosa e azul, me aceita como eu sou”. Essa foi a canção que embalou a oficina de Diversidade, enfocando a representatividade racial e autoestima, com Selma Gloria (Coordenadora Programa de Gênero do MOC). Seguindo a proposta de aprofundar os conhecimentos sobre o conceito de diversidade e suas implicações na vida de crianças e adolescentes,  assim como, entender conceito de raça e representação da negritude na nossa sociedade e como isso impacta e interfere a na vida de meninos e meninas, como que isso se dá no cotidiano, outro ponto da oficina foi construir propostas da superação das desigualdades de gênero, de raça e promoção da diversidade nos espaços nos quais serão trabalhados com crianças e adolescentes.

 

Para Selma Glória a ideia da formação foi levar insumos de instrumentalizadas para trabalhar com crianças e adolescentes, pois é um desafio que vem sendo colocado, por isso necessita encontrar caminhos e possibilidades, como abordar o tema a partir de uma brincadeira, de um texto, de uma música. É pensar o como essa questão vai estar presente quando forem atuar com crianças e adolescentes, esses desafios vão sendo superados na medida em que a gente experimenta. “O nosso medo não pode ser maior que a vontade de formar e a necessidade de informar”, lembrou Selma dessa frase que se encaixa bem no contexto.

 

E para fechar as formações com diversas oficinas, não poderia falar a de Dinâmicas educativas na perspectiva do desenvolvimento infantil, conduzida pela psicóloga Marcela Brandão, que já iniciou provocando como conquistar a atenção e despertar o interesse e o encanto de querer participar das atividades propostas para crianças e adolescentes, falou sobre as dificuldades de envolver a participação dessas turmas, mas como é possível inventar e reinventar formas de atrai-los.

 

E assim, na prática várias dinâmicas foram feitas, com elementos que chama atenção, desperta o pensar, o sorriso, interação e tudo isso no coletivo, um precisando do outro, percebendo a importância da união nos vários espaços das comunidades. A cada dinâmica realizada era questionado como adaptar na comunidade, com que público é possível trabalhar, como inserir outras temáticas e como deixa-la mais lúdica para de fato conseguir contribuir nos efeitos e resultados das atividades.

 

E após esses processos formativos proveitosos, um momento de discutir, refletir e planejar as ações de cada projeto sendo eles, Parceiros por Um Sertão Justo com a parceria da Actionaid Brasil e do projeto Crianças e Adolescentes: Re’Tocando Vida, Direitos e Sonhos da parceria com instituição alemã Kinder Not Hilfe (KNH), ambos voltados para contribuir no protagonismo de crianças e adolescentes, assim como de suas famílias, como no desenvolvimento comunitário, para que a busca incansável pela garantia de direitos e de uma vida digna e feliz no campo, tenha sempre êxito.





Por: Robervânia Cunha

Programa de Comunicação (PCOM/MOC)