A III Oficina de Formação de ACRs e ACAs aconteceu em Feira de Santana

A III Oficina de Formação de ACRs e ACAs aconteceu em Feira de Santana

28/02/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

O Movimento de Organização Comunitária (MOC) e a Cooperativa de Consultoria Pesquisa e Serviços de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável – COOPESER, em parceria com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), por meio do Programa Bahia Produtiva,  realizou entre os dias 27 e 28 de fevereiro, no Centro de Formação Comunitária - CFC, em Feira de Santana, a III Oficina de Formação dos Agentes Comunitários Rurais (ACRs) e Agentes Comunitário de Apicultura (ACAs) do lote 24 do Território do Sisal e do lote 17 do Território do Piemonte do Paraguaçu.

A atividade contou com colaboração dos técnicos:
Alexandre Nepomuceno, José Ivamberg Ferreira, Reinilda Santos e Willza Oliveira do MOC, como também Thiago Fontenelle, Leonardo Bonfim e Elisa Falcão da COOPESER, na facilitação do encontro, assim como com a contribuição da Coordenadora Pedagógica do MOC, da COOPESER e do Bahia Produtiva, Vandalva Oliveira.

A oficina seguiu com objetivos de proporcionar momentos de troca de saberes, somando em novos conhecimentos para os agentes, realizando assim visita de campo, para conhecer a experiência de um sistema agroflorestal e outras práticas de base ecológicas praticadas no Centro de Agroecologia Rio Seco (minhocultura, fruticultura, produção de mudas, plantio de sequeiro, horta orgânica, produção de biofertilizante, meliponicultura, entre outros.). Em outro espaço foi possível discutir e refletir, sobre os conhecimentos adquiridos na visita, compartilhando conhecimentos com realidades, envolvendo a participação dos jovens nas comunidades que atuam.

Segundo Alexandre nessas discussões
os jovens deram destaque aos sistemas agroflorestais (SAF) como uma experiência que pode agregar nas suas respectivas comunidades, como Ariane da Silva (Agente Comunitária de Apicultura da Associação Comunitária dos Trabalhadores Rurais da Fazenda Saguim), que destacou que a implantação de agroflorestais para a apicultura, pode mostrar-se uma prática que fomentará o processo de recaatingamento das áreas onde é praticada a apicultura, o que levaria benefícios à atividade apícola como a diversificação da florada.

Para Agda Ribeiro (Agente Comunitária Rural da Associação dos Pequenos Agricultores Familiares da Fazenda Lagoa Grande), a implantação de SAFs nas propriedades familiares, proporcionaria matéria-prima aos beneficiários do projeto, oriundas das árvores frutíferas dos SAFs.

Antes do momento de e avaliação desses dois dias produtivos de saberes compartilhados e somados na terória e na prática, aconteceu um momento de monitoramento e orientações das ações desenvolvidas pelos/as ACAs e ACRs, para poderem buscar o nivelamento da execução das atividades e assim atingir  exito em seus resultados.




Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC