Seminário avalia Projeto que trabalha a dimensão da Garantia de Direitos à Educação e Alimentação de Qualidade

Seminário avalia Projeto que trabalha a dimensão da Garantia de Direitos à Educação e Alimentação de Qualidade

07/12/2016

O Seminário de Avaliação Anual do Projeto “Construindo Saberes para a Garantia de Direitos à Educação e Alimentação de Qualidade” acontece nesta terça-feira (07/12), na Pousada Central, em Feira de Santana, reunindo representantes dos municípios de Araci, Quijingue e Serrinha e técnicos do MOC que desenvolve o projeto com apoio da instituição internacional Terre des Hommes Suisse (TDH), que atua na defesa e promoção dos direitos das crianças.

O evento objetiva avaliar os principais resultados alcançados em 2016 e também o desempenho do projeto ao longo dos quatro anos de execução que será finalizado agora, analisando as principais mudanças provocadas com o trabalho pedagógico e comunitário, as dificuldades, além de projetar ações para o próximo período.

“O projeto trabalha numa dimensão interessante da alimentação escolar na educação contextualizada. O mais importante neste projeto é a possibilidade da alimentação saudável não ser trabalhada como uma temática ou como um tópico no processo educativo e sim ela ser uma dimensão da educação contextualizada. Porque se a alimentação saudável é um direito ela está entre os direitos básicos que estão nos marcos legais, nas conferências mundiais, enfim, a gente garante na verdade um direito por outro direito também ”, declara Ana Paula Duarte, técnica do MOC do Programa de Educação do Campo Contextualizada. (Peconte).

Os professores/as avaliaram o trabalho como muito positivo porque puderam trabalhar a dimensão da alimentação saudável na prática a partir de experimentações, dos intercâmbios que foram possibilitados, e principalmente a partir da construção da horta escolar. “A horta não foi trabalhada apenas como uma ação do projeto, mas como um instrumento pedagógico na escola. Além do consumo dos alimentos saudáveis e até o resgate de plantas como remédios naturais, os professores e professoras também trabalham a horta como ferramenta pedagógica com conteúdos que reflitam a realidade das pessoas para que sejam avaliadas, transformadas e valorizadas. Tudo isto dentro do contexto da alimentação saudável e nutricional”, complementa Ana Paula.

Participam do encontro professores e professoras, coordenações pedagógicas municipais, sociedade civil, famílias e crianças que representam seus municípios e avaliam o projeto.

Por:
Maria José Esteves
Programa de Comunicação do MOC