Mulheres rurais participam de curso para a   produção artesanal de arranjos natalinos

Mulheres rurais participam de curso para a produção artesanal de arranjos natalinos

17/11/2016

O Natal é um momento de celebração da religiosidade, do amor ao próximo e do nascimento de Jesus Cristo. Nesse período as pessoas se reúnem para partilhar o alimento e também celebram o começo da vida com a troca de presentes. O comércio é aquecido com a venda desses produtos e há no mercado as mais variadas opções disponíveis, desde brinquedos e presentes dos mais variados até os feitos artesanalmente.

Pensando nisso, a Rede de Mulheres Produtoras da Bahia em parceria com o Movimento de Organização Comunitária (MOC) realizam um curso para a produção artesanal de arranjos naturais natalinos com a participação de mulheres rurais.

Palhas, cipós, sementes, cordas, cabaças, conchas, vargens, concas de licuri dentre outros, são os materiais utilizados na confecção das peças são recolhidos da natureza pelas próprias mulheres.  “Quase todos os materiais que usamos é catado da natureza diminuindo e muito o custo. Poucas coisas compramos como fitas e jutas, porque se for comprar tudo fica muito caro”, declara Marcela Militão, facilitadora do curso.

Participam da atividade cerca de quinze mulheres rurais, agricultoras familiares e integrantes de grupos produtivos dos municípios de Lamarão, Feira de Santana, Retirolândia, Santaluz e Araci.  Com recursos do projeto Redes Solidárias SENAES/TEM a atividade acontece entre os dias 16 e 18 de novembro, no Centro de Formação Comunitária (CFC) bairro Papagaio, em Feira de Santana.

Economia Solidária  
“O que pude aprender aqui vou ensinar para as companheiras do grupo Flores e Cultura que não puderam vir”, ressalta Maria Julieta Nascimento, da comunidade Poço do Capim, em Araci.

O curso é mais uma oportunidade para a qualificação dos empreendimentos econômicos solidários e ampliação da produção. “Este é o primeiro curso de arranjos natalinos que faço. Estou amando e quero estar nos próximos. Vou tentar passar para as amigas que tiver interesse onde moro. Eu já vendo alguns artesanatos feitos com retalhos de tecidos e agora vou acrescentar os produtos natalinos que aprendi agora”, diz Maria Nilza da Conceição Santos, da comunidade Traíra I, município de Lamarão.

Os arranjos naturais natalinos deverão movimentar a economia e o comércio regional já a partir deste mês de novembro e aquecer as vendas durante todo o período de festas de final de ano.

Por:
Maria José Esteves
Programa de Comunicação do MOC