Povo vai às ruas

Povo vai às ruas "Nenhum Direito a Menos"

11/11/2016

Hoje, 11 de novembro é o Dia Nacional de Greve convocada pela CUT e demais centrais sindicais, com apoio de movimentos sociais que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e várias entidades da sociedade civil que têm se posicionado contra a retirada de direitos.

As entidades se manifestam criticamente em relação à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 55, em tramitação no Senado, que na Câmara dos Deputados estava identificada como PEC 241 e deverá ser votada em plenário até o dia 15 de dezembro. Um dos principais questionamentos é que, ao congelar os gastos por 20 anos, a proposta paralisa também os valores repassados às áreas de saúde e educação, além do aplicado em políticas sociais.

Em Feira de Santana, município sede do MOC, as poucas lojas abertas pela manhã no centro da cidade estão sendo fechadas a pedido das lideranças sindicais e grevistas que estão ocupando as avenidas centrais da cidade. O fluxo de veículos tem sido interrompido para dar passagem aos manifestantes e liberados em seguida.

A manifestação também acontece no Brasil inteiro. No interior baiano com caminhadas e protestos em diversas cidades, além de queima de pneus em BRs para chamar a atenção da população em defesa dos direitos, contra o retrocesso que esse governo representa.

- Contra a PEC 55 (PEC 241) – projeto que tramita no Senado e que congela por 20 anos os investimentos em serviços públicos essenciais à população, como Saúde e Educação;

- Contra a Reforma da Previdência – que aumenta a idade mínima da aposentadoria para 65 anos, para mulheres e homens, penalizando especialmente quem começou a trabalhar cedo e os jovens que ainda não entraram no mercado de trabalho;

- Contra a Reforma Trabalhista – que retirar direitos como FGTS, Férias, 13º, licença-maternidade e paternidade, auxílio creche e outras garantias, e aumenta as terceirizações, permitindo a contratação com salários mais baixos, condições precárias de trabalho e sem nenhum direito trabalhista!

- Contra a entrega do Petróleo do Pré-Sal a empresas estrangeiras. O Pré-Sal é do povo brasileiro e seus recursos devem ser investidos em benefício da população, como Saúde e Educação! Não podemos permitir que esta riqueza seja entregue aos estrangeiros!

- Em defesa da Educação – pública, universal e de qualidade. Não à reforma do Ensino Médio!