Coube a Serra Preta sediar o décimo Ato

Coube a Serra Preta sediar o décimo Ato "O Campo com Gente e com Direitos"

06/09/2016

O município de Serra Preta sediou nesta terça (06) o décimo Ato "O Campo com Gente e com Direitos-em defesa das políticas de convivência com o Semiárido". Cerca de 200 agricultores e agricultoras familiares se reuniram para o encontro no Centro Comunitário local a convite do Movimento de Organização Comunitária (MOC), Sindicato dos Trabalhadores/as Rurais do município, Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (FETRAF) e do Fórum Baiano da Agricultura Familiar (FBAF), idealizadores do evento.

Durante toda a manhã famílias de agricultores/as beneficiárias dos programas da politica de convivência com o semiárido e organizações que se articulam em rede para fortalecer as ações pela justiça social, anunciaram e celebraram suas lutas e conquistas, bem como denunciaram às ameaças à dignidade da vida no Semiárido, diante da atual conjuntura política brasileira.

"Temos que parar, refletir e pensar para frente senão nossos filhos não vão ter o que nós já conseguimos, já conquistamos. Vamos lutar para não perder", enfatizou a agricultora Arlete de Jesus Costa que que compôs a mesa representando os agricultores/as presentes.

"Quem conhece e sabe mais sobre resistência do que nós nordestinos e nordestinas? Das nossas lutas e nossos desafios?, indagou Selma Glória, representante do MOC no início da sua fala. "Eles roubaram nossa dignidade, mas a conquistamos. Agora querem nos roubar novamente, mas temos que lutar e saber dizer não", enfatizou fazendo uma retrospectiva sobre as condições de vida do homem e mulher do campo há pouco mais de uma década e comparando com a atual e já ameaçada realidade dos mesmos.

Elisângela Araújo, em nome da FETRAF e do FBAF falou sobre a complexidade da atual conjuntura política brasileira e da importância do fortalecimento das organizações, da classe trabalhadora rural e do voto de cada um como elemento de resistência e poder transformador. Ratificou assim e de forma conclusiva as falas anteriores de Milena Buraen, presidenta do STR local e dos convidados Joelson Dias, representante da Juventude Municipal, David Bacelar, da Sindipetro Bahia e Derlan Queiroz, representante da CUT Bahia.

Ao final do evento alguns dos agricultores/as presentes receberam Termos simbólicos de tecnologias, como cisternas de consumo e produção e de Assistência Técnica e Extensão Rural.

Por:
Maria José Esteves
Programa de Comunicação do MOC