Plano Estadual de Juventude e Sucessão Rural é tema de oficina na capital baiana

Plano Estadual de Juventude e Sucessão Rural é tema de oficina na capital baiana

24/05/2016

A juventude rural, de todos os Territórios de Identidade da Bahia, com representação dos diversos segmentos, a exemplo dos povos indígenas e quilombolas, estará reunida desde ontem (23) no Centro de Formação da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em Itapuã, na capital baiana, para a realização da Oficina de Concertação para a Construção do Plano Estadual de Juventude e Sucessão Rural. O encontro encerra neste dia 24.

A abertura do evento contou com a presença do chefe de gabinete da SDR, Edson Valadares, da superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), Anhamona de Brito, da superintendente do Banco do Nordeste, Yêda Brito, dos representantes da Secretaria da Educação, Josevone Serafim e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura na Bahia (Fetag-BA), Eduardo Damasceno, além de técnicos de diversas áreas da SDR e das outras secretarias estaduais participantes.

De acordo com o assessor especial para a Juventude Rural da SDR, Jocivaldo dos Anjos, o principal objetivo dessa oficina é escutar a juventude para construir estratégias para integrar o Plano Safra da SDR 2016/2017. “O objetivo é combater o êxodo e garantir que as políticas públicas e a garantia de direitos cheguem à juventude rural”.

A secretária para a juventude, da União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária na Bahia (Unicafes-BA), reafirmou a importância de criar estratégias para garantir a permanência dos jovens no campo. “A expectativa é que sejam consolidadas ações que proporcionem a continuidade dos jovens no campo, de forma digna, com inclusão nas cadeias produtivas e inserção dessa juventude na gestão das cooperativas e entidades que representam a população rural”.

Ações realizadas - Durante o evento foram apresentadas algumas ações da SDR voltadas para a juventude rural, a exemplo da realização das conferências territoriais e estadual para a juventude rural e da I Conferência Livre de Juventude Rural do Estado da Bahia, a obrigatoriedade de 15% da participação de jovens nas chamadas públicas de assistência técnica e extensão rural (ATER), realizadas pela Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), da participação dos jovens no acesso aos editais do Bahia Produtiva, no acesso às Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP’s), entre outras.
Fonte: SDR