Acesso a água é realidade para muitas famílias do semiárido

Acesso a água é realidade para muitas famílias do semiárido

22/03/2016

Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água (22), famílias celebram o acesso a água de qualidade para beber, cozinhar e para dessedentação animal. O acesso a água, que historicamente vem sendo negligenciado para famílias agricultoras do semiárido brasileiro, ao longo da última década se tornou cada vez mais realidade, fruto da longa caminhada dos movimentos sociais e organizações dessa região, que lutaram para efetivação de políticas que garantissem esse acesso.

Uma dessas iniciativas já vem sendo implementada como política pública do Estado brasileiro e é resultado concreto da mobilização de lutas enfrentadas por organizações ligadas à Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), a exemplo do Movimento de Organização Comunitária (MOC). Como ações concretas estão o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) que garantiu a construção de cerca de 800 mil cisternas de 16 mil litros para beber e cozinhar.  Desse total, 3.237 estão instaladas em escolas públicas. Pelo Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) mais de 88 mil tecnologias de segunda água foram implementadas. São  programas executados pela ASA e constituídos como política efetiva de acesso água no país.

Dia Mundial da Água
O Dia 22 de março foi criado pela Organização das Nações Unidas - ONU em 1992, desde então a data é destinada à discussão sobre os diversos temas relacionados à água no planeta.

Os debates em torno da preservação e do acesso à água se tornam mais evidentes durante essa semana nos meios de comunicação, redes sociais e organismos que militam em torno da questão. Em muitas dessas abordagens a seca no Nordeste e falta de água ganham destaque amplo, mas as soluções para enfrentar as questões climáticas ainda são pouco divulgadas.

Embora o acesso à água ainda não esteja universalizado, ou seja, muitas famílias ainda precisam ser incluídas em políticas públicas e terem o seu direito assegurado, outras tantas famílias são exemplo de como o investimento nas tecnologias sociais tem sido um meio para garantir o armazenamento de água nas propriedades por meses.

Leia aqui a história do Seu José Walter Alves Moreira, agricultor familiar da comunidade de Boqueirão município de Tucano e de sua esposa  Ana Arilda de Jesus Moreira. (foto acima)