Mulheres se reúnem em busca de mais direitos e igualdade

Mulheres se reúnem em busca de mais direitos e igualdade

19/11/2015

O Movimento de Organização Comunitária (MOC), realizou hoje, 19, através do Programa de Gênero, o Seminário regional de lançamento da campanha "Quebre o Silêncio! Sua atitude salva vidas: denuncie toda e qualquer forma de violência contra às mulheres!", que aconteceu no Centro Cultural Ana Rios, no município de Conceição do Coité. O evento teve a participação de mulheres lideranças dos Territórios do Sisal e Bacia do Jacuípe.

O objetivo do Seminário foi para refletir o contexto das desigualdades, debater sobre as várias formas de violência, lançar a campanha de enfrentamento a violência contra mulheres além de elaborar estratégias de divulgação da Lei Maria da Penha, denuncia da violação dos direitos das mulheres e intervenção na política de enfrentamento a violência contra mulheres.

Dentro da programação houve também roda de prosa, momento de debate e interação onde as mulheres puderam expressar suas vivências diárias, lutas e conquistas. As representações dos municípios ainda puderam apresentar suas ações planejadas e/ou desenvolvidas no enfrentamento a violência contra mulheres.

Para a coordenadora do Programa de Gênero do MOC, Selma Glória, esses momentos são importantes "Para unirmos forças e criar estratégias para fortalecer o debate e a discussão no que diz respeito aos direitos de mulheres”, completa.

No seminário foi ressaltado nas falas sobre o sistema político e como o mesmo tem uma grande interferência na luta de direitos para mulheres, mas, que ainda não é garantido. É o que salienta Maria Vandalva, coordenadora pedagógica do MOC, par ela a estrutura do sistema ainda precisa ser ocupado pelas mulheres. “Primeiro é bom à gente pensar que o sistema que nós temos por si só já viola os direitos, da forma que ele é pensado, estruturado, não assegura as mulheres um poder de participação e decisão e consequentemente isso implica com que os homens, estejam sempre ocupando os espaços de representação, de decisão nos parlamentos, nas câmaras o que fazer com os recursos públicos e causa a ausência de politicas publicas para as mulheres fazendo com que fique ainda mais complicado trabalhar direitos para as mulheres. Mas, cabe ainda ressaltar que existe um conjunto de elementos estratégicos que tem mudado o percurso de lutas das mulheres, mas que ainda não descem de forma linear para que cheguem aos municípios onde estão um maior número de mulheres com suas dores em situações gritantes de violência”.

Ela ainda fala da importância da campanha no enfrentamento a violência, “acredito que a campanha ajuda as mulheres a tirar as vendas dos olhos, as amarras das mãos, a romper o silêncio e daí a gente começa a desnaturalizar e a gente começa a visibilizar e a buscar nossos espaços”, completa.

Para as demais participantes o Seminário é um espaço de fortalecimento na busca de direitos e igualdade para as mulheres. 

Por:
Kívia Carneiro
Comunicóloga/ Programa de Comunicação do MOC