MOC participa da Feira de Assentados e Agricultura Familiar em Mucambinho

MOC participa da Feira de Assentados e Agricultura Familiar em Mucambinho

25/09/2015

Desta sexta-feira, 25 de setembro, até o próximo domingo, 27, acontece na comunidade de Mucambinho, município de Santaluz, a Feira de Assentados e Agricultura Familiar que como objetivo promover a integração dos assentamentos e possibilitar a comercialização, agregar valores e saberes populares de agricultores (as) além de fortalecer a economia local.
 
Trata-se da segunda Feira Agroecológica na comunidade – a primeira aconteceu em julho de 2014 -  e já é uma referencia para outros municípios, por já ser um exemplo na valorização dos agricultores familiares locais. 
 
O Movimento de Organização Comunitária (MOC) participa da Feira apoiando a troca de experiências e com a realização de oficinas temáticas junto às crianças e adolescentes, mulheres e agricultoresas familiares. Oficina sobre Segurança Alimentar, Convivência com o Semiárido, História da Comunidade, Violência contra a Mulher, Gestão Financeira e Administrativa foram algumas delas, além do Seminário de monitoramento do projeto “Cantando e Contando Nossa História”. Outras entidades com a FATRES, ASCOOB Itapicuru, APAEB estiveram presentes desenvolvendo demais oficinas.
 
Além das ações voltadas para a sustentabilidade e a agricultura familiar a comunidade de Mucambinho é referência na luta pelos direitos.  É desenvolvido na comunidade o projeto “Cirandando pelos Direitos” realizado pelo MOC, com o apoio do Kinder Not Hilfe – (KNH), que busca fortalecer os direitos das crianças e dos adolescentes com foco na comunicação e participação social. Outro projeto desenvolvido pelo MOC na comunidade é o “Cantando e Contando Nossa História”, apoiado pela Unesco/Criança Esperança onde as crianças e adolescentes trabalham o contexto histórico da comunidade através de desenhos , textos, vídeos, e programa de rádio produzidos por eles/as. 
 
Diversos técnicos do MOC ministram as oficinas da Feira que conta com a participação e apoio dos movimentos sociais, entidades comunitárias, assentamentos da região do sisal, além do apoio de diversas instituições e órgãos ligados aos governos estadual e federal.
 
O evento acontece até o domingo, dia 27, e os visitantes podem desfrutar de comidas típicas, alimentos da agricultura familiar, exposição e julgamento de animais, artesanatos produzidos com couro, palha, sisal, material reciclável, que serão expostos durante os três dias do evento.