MOC realizou intercâmbio com agricultores/as em Serra Preta

MOC realizou intercâmbio com agricultores/as em Serra Preta

24/09/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

O Movimento de Organização Comunitária realizou nos dias 20 e 21 de setembro, um Intercâmbio de troca de saberes e fazeres entre agricultores/as do município de Serra Preta, como parte das ações da Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), que conta com acampamento do técnico Clécio Lima. A atividade envolveu agricultores/as das comunidades de Junco, Santo Antônio e Lagoa da Caiçara.

No primeiro dia, a atividade foi na Unidade Produtiva Familiar (UPF), de dona Cleuza e seu Adão na fazenda Melancieira, depois da apresentação e integração dos participantes, como ainda explanação sobre a importância do Intercâmbio para o fortalecimento das comunidades e no âmbito do associativismo e fortalecimento da agricultura familiar, teve um momento de reflexão e debate sobre as políticas públicas existentes no município votadas para agricultura familiar, as quais muitos já tiveram acesso, que contribuíram com a geração de renda do homem e da mulher do campo, discutiram ainda a respeito da atual conjuntura política do país, a qual vem destruindo os direitos do povo, principalmente no Semiárido, contando com as colaborações de Sérgio Moreira (secretário de Saúde,) e Hélio Alves (Secretário de Agricultura).

Seguindo com a visita dessa experiência, conheceram o galinheiro e a horta da família, no retorno direto para a Associação Comunitária do Cazuzão, o técnico Clécio Lima juntamente com José Gonçalves e Isaías agricultores e sócios, fizeram um breve histórico sobre as conquistas da comunidade e sempre reforçando a importância de se ter uma comunidade bem organizada. Na oportunidade, tiveram a participação de Milena Buruaem (diretora do Sindicato dos trabalhadores Rurais de Serra Preta), relatando sobre a importância de ATER na vida dos/as agricultores, além de Hélio Alves expressar o trabalho do técnico e das ações municipais que fortalecem a luta da agricultura familiar no campo.

E para somar mais aprendizados, a partir da troca de conhecimentos, realizaram visita na propriedade de Isaías e Edimaria Silva atendidos pelo projeto Bahia Produtiva, nas quais partilharam sobre a prática de criação de galinhas caipiras, que são melhoradas geneticamente, produzindo carne e ovos, como ainda sobre autonomia que vem geral renda significativa para essa família.

O segundo dia de intercâmbio realizaram mais uma visita, dessa vez na comunidade de Junco, na fazenda Umbuzeiro da Unidade Produtiva Familiar (UPF) de seu Lourival e dona Marineide, que apresentou uma experiência riquíssima de quintal do produtivo, que desenvolveram inicialmente com o apoio do projeto Uma Água e Duas Terras (P1+2), que construiu junto a família uma tecnologia social para captação e armazenamento de águas da chuva para a produção de alimentos, com base nos princípios da agroecologia, ou seja, sem uso de agrotóxicos, garantindo o sustento familiar, através do consumo e da comercialização do excedente das hortaliças produzidas, aqui puderam presenciar várias práticas de Convivência com o Semiárido, que a família visitada realiza, pensando sempre na sustentabilidade.

Uma avaliação bastante positiva foi feita pelos agricultores/as que se enriqueceram de conhecimentos nesses dois dias de trocas, reafirmando assim que “É no Semiárido que a vida pulsa. É no Semiárido que o Povo resiste”. E teve ainda sorteio de brindes, como inchada, pá, enxada, martelo, facão, alicate, alguns metros de tela de sombrite, cal, pluviômetros e arames.



Por : Programa de Comunicação do MOC- PCOM