MOC foi em caravana prestigiar o recebimento da Comenda 2 de Julho por Wilson Dias na ALBA

MOC foi em caravana prestigiar o recebimento da Comenda 2 de Julho por Wilson Dias na ALBA

14/06/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

O Movimento de Organização Comunitária (MOC) esteve presente na manhã dessa quinta-feira, 14 de junho, na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), em Salvador para parabenizar e prestigiar o recebimento da maior honraria dessa Casa, a Comenda 2 de Julho pelo companheiro de longas estradas Wilson José Vasconcelos Dias, ele que é engenheiro agrônomo e diretor-presidente da Companhia de Ação Regional (CAR), empresa vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), a homenagem aconteceu em uma Sessão Solene, que teve como proponente o deputado Fabrício Falcão (PCdoB) e aprovada pela Assembleia.

 
“Deixe-me viver. Deixe-me falar. Deixe-me crescer. Deixe-me organizar”. O estrofe dessa canção foi lembrado como símbolo de luta, de organiza do povo em busca por justiça, garantia de direitos e democracia para viver conviver no seu lugar, nesse contexto que se caracterizou a caminhada de contribuições do homenageado pelas terras baianas, como um ser integro, humanizado e forte, sobretudo na defesa da agricultura familiar.

“A CAR desenvolve um trabalho importante para os agricultores familiares e o doutor Wilson com sua trajetória de fazer política, sempre focou em homens e mulheres que vivem da agricultura familiar, que produz o nosso alimento, um homem na luta pela reforma agrária, em defesa dos trabalhadores rurais. É uma honra dar esse título a uma figura com essa qualidade de trabalho, de capacidade intelectual e dá luta como o doutor Wilson Dias (...). Só quero parabenizar a essa casa, parabenizar a todos os deputados que concederam essa honraria, o Senhor é dono dessa Comenda”, enfatizou Fabrício Falcão.

Wilson Dias tem graduação de Engenharia Agrônoma pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e é discente do Mestrado em Planejamento Territorial pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), sendo natural de Governador Mangabeira, estando desde de 2015 na diretoria-presidência da CAR/SDR, tornando-se um gestor prestigiado no governo da Bahia, ajudando na implantação de importantes instituições da agricultura familiar. O homenageado deixou um legado de contribuições também em entidades como o MOC, que há mais de 50 anos resiste, insiste e luta por um Sertão Justo.

Para Naidison Baptista (coordenador executivo Articulação Semiárido Brasileiro – ASA e militante do MOC) que fez parte da mesa da plenária, esse momento é de celebrar a trajetória, caminhada, estrada que é feita com Wilson, destacando quatro atores nos quais o homenageado deixou e deixa sua marca, contribuindo na construção de um outro olhar e uma nova perspectiva de Semiárido baiano, sendo: o MOC, a ASA, o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) e Articulação de Agroecologia da Bahia (AABA). "Compromisso com as pessoas, com o seu trabalho, com a agricultura familiar, com os mais pobres é isso que nós celebramos, é por isso que a ASA o MOC, a Consea e a Articulação de Agroecologia tá aqui, para lhe trazer um abraço e dizer que nós desejamos que você continue por muitos anos, nessa trajetória, nessa teimosia, nessa casa executiva, construindo um mundo de justiça, que a gente precisa. Parabéns!”. Expressou Naidison Baptista.

Entre ao vários momentos de fortes emoções, depoimentos, parabenização, entrega de placas e símbolos de homenagens, o mais relevante e importante do espaço foi a entrega da Comenda 2 de Julho tornando-o o mais novo Comendador da Bahia, em volta de familiares, amigos e colegas que batalham e conjugam junto a ele da sua missão e ideias de vida e trabalho.

Em seu relato de agradecimento e horando em receber esse título, Wilson Dias relembrou sua caminhada a partir do ingresso na Universidade, na qual já despertava para uma outra agricultura, que pouco era explorada na grade curricular, porém mesmo difícil seguiu nessa defesa, pois era a que fazia sentindo, valorizar e cuidar da terra, da água e principalmente de quem dedica uma vida para produzir o sustento de sua família e toda sociedade, seja no campo ou cidade.

“A dignidade humana está sobre todas as outras coisas, isso eu aprendi muito no tempo que convive no MOC e na APAEB (...), por isso que também essa medalha são para essas instituições, que de alguma forma ajudei a construir ou fortalecer”, disse o Comendador agradecendo a presença de todos/as que prestigiaram esse momento histórico de sua vida.




Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC