Reunião de Planejamento e Monitoramento das ações de organizações de mulheres foi realizada em Retirolândia

Reunião de Planejamento e Monitoramento das ações de organizações de mulheres foi realizada em Retirolândia

14/06/2018

MOC_PorumSertaoJusto

Reunião municipal de Planejamento e Monitoramento das ações das organizações de mulheres foi realizada em Retirolândia, com mulheres e meninas lideranças de Coletivos, Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais (MMTR), Secretaria de mulheres do Sindicato, Associações, Cooperativas, grupos de produção e rede municipal de enfrentamento a violência contra as mulheres, contando a facilitação do Movimento de Organização Comunitária (MOC), através de Selma Gloria coordenadora do Programa de Gênero, acompanhando o município, visando contribuir na construção de relações justas e solidárias na perspectiva da promoção da igualdade e equidade de gênero com ações integradas.

A
 atividade que aconteceu no dia 11 de junho, teve o objetivo de planejar juntamente com as mulheres lideranças as ações a serem desenvolvidas em suas organizações, assim como buscar encaminhamentos coletivos que contribuam para seu fortalecimento e alcance dos indicadores e metas previstos no Plano de trabalho, se debruçando ainda na reflexão da conjuntura política, perdas e constantes ameaças aos direitos das mulheres, bem como revisitando a Missão do Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais, discutindo a cerca da sua contribuição na vida das mulheres, retomou também um dialogo sobre avanços, desafios e as estratégias definidas durante monitoramento e avaliação das ações.

E como um passo fundamento para o andamento desses movimentos e organização de mulheres rurais, o planejamento das futuras atividades, como estratégias a fortalecimento da caminhada e da luta pelos direitos das mulheres e suas resistências contra as amarras do Patriarcado e do Machismo. Assim, vale ressaltar que os momentos da reunião foram conduzidos de maneira muito proveitosa, com roda de prosa, trabalho em grupos, bastante interação e a certeza que juntas são mais fortes para garantir direitos e enfrentar todos os tipos de violência, “até que todas sejam livres”.


Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC