Programa de Comunicação realiza Seminário sobre Comunicação Comunitária

Programa de Comunicação realiza Seminário sobre Comunicação Comunitária

16/04/2018

O Programa de Comunicação do Movimento de Organização Comunitária (MOC), através da técnica Kívia Carneiro, realizou hoje, 16, o Seminário municipal para discutir a comunicação comunitária como direito humano e instrumento de mobilização e mudança local.

Atividade aconteceu no município de Retirolândia, na sede do auditório do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais e contou com a participação de crianças, adolescentes, jovens multiplicadoras, membros da comunidades de Laginha, Vista Bela, Jitaí e Lagoa Grande do município de Retirolândia e das comunidade de Mucambinho, Miranda e Rose do município de Santaluz.

O objetivo do seminário foi aprofundar a concepção de comunicação comunitária, discutir sobre a representação das pessoas na comunidade diante da mídia e construir estratégias de comunicação que possam fortalecer e dar visibilidade às ações dos sujeitos e suas comunidades.

Sobre a metodologia do seminário aconteceu o carrossel de conceituação sobre que é: comunicação comunitária, mobilização social e o uso de mídias alternativas. Os grupos passaram pelas tarjetas e conceituaram os temas acima.

Também foram exibidos dois vídeos que correspondiam a temática trabalhada. Uma produção reportagem da série comunicação produzida pelo Canal Brasil no telejornalismo Repórter Brasil e a outra a o filme Levante sua Voz com a produção do Intervozes. Um dos vídeos trás uma reportagem do processo de formação da comunicação no país e o outro ressalta o controle absoluto das 11 famílias que controlam os meios de comunicação brasileira, fazendo uma reflexão sobre a ética o baixo nível das informações que recebemos, as falsas ideologias democráticas e a falta de liberdade
de expressão.

Para Justiniano da Silva, presidente a Associação Comunitária de Mucambinho, fala do trabalho de uma comunidade como uso da comunicação é transformador. “Trabalhar em conjunto e em parceria, porque quando a gente se une a gente vai lutando, vai buscando a convivência com os companheiros e vivendo a transformação junto a comunicação é importante nesse processo porque com ela acontece o desenvolvendo e o conhecimento”.

Segundo Francenilda Lopes diz que, “ achei muito importante, pois ter conhecimento sobre os veículos de comunicação, os benefícios que eles podem trazer e de que forma podemos estar nos mobilizando num propósito é coletivo para levar um pouco mais de conhecimento para nossa comunidade é muito rico”, completa.

No decorrer do seminário foram apresentadas reflexões mediante ao tema e como podemos aprofundar os assuntos ligados à comunicação sendo esta um instrumento de transformação mediante as mobilizações sociais.

Ana Glécia Almeida técnica do Programa de Agua Produção de Alimentos e Agroecologia, PAPAA, também do MOC, participou do seminário falando sobre a atual conjuntura Política.

O MOC acredita na indivisibilidade dos direitos humanos por isso a comunicação é fundamental para a conquista e manutenção desses direitos e se opõe ao modelo de comunicação onde o sujeito é meramente objeto receptor de informação e acima de tudo defende a comunicação que privilegia o diálogo, o direito a ter direitos e uma comunicação que respeita os direitos humanos.


Kívia Carneiro
Comunicóloga
Programa de Comunicação do MOC