MOC começou ações do novo projeto para Crianças e Adolescentes

MOC começou ações do novo projeto para Crianças e Adolescentes

11/01/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

Em uma das linhas de trabalho, ações e lutas do Movimento de Organização Comunitária (MOC) se insere na busca para contribuir com a garantia de direitos humanos de crianças e adolescentes das comunidades rurais, que na sua maioria são negados. Dessa forma, o MOC acredita que investir na inclusão social, assim como na educação contextualizada através de projetos sociais, contribuirá para um
desenvolvimento sustentável da comunidade, diante de um cenário com índices baixos no setor educacional e social que se encontra no Semiárido.

Por isso o MOC, que conta com parceiros que apoiam essa luta, no qual está dando corpo e desenvolvendo um novo projeto, intitulado como “Crianças e Adolescentes: Re’Tocando Vida, Direitos e Sonhos no Semiárido”, financiado pela instituição alemã Kinder Not Hilfe – (KNH), abrangendo as comunidade de Lagoa Grande, Lajinha e Vista Bela do município de Retirolândia, nesse mesmo município realizou no dia 09 de janeiro, uma reunião de monitoramento do que já vem sendo feito e planejamento das atividades futuras, que serão execultadas pelo projeto, contando com a participação das jovens multiplicadoras, da técnica do Programa de Comunicação do MOC Cleonice Oliveira e da Coordenadora Pedagógica do MOC Vandalva Oliveira.

Partindo de um processo educativo, que dialoga com a realidade dessas comunidades, protegendo as crianças e adolescentes e promovendo o desenvolvimento local sustentável e solidário, que o projeto trabalhará ao longo de cinco anos com ações formativas teóricas, práticas e técnicas com as crianças e adolescentes, repercutindo para suas famílias e comunidades, como também com intercâmbios de troca de conhecimentos e ainda com a instalação de Rádios Postes, que colaborará com acesso à comunicação como um direito.

Portanto, percebe-se que o direito a comunicação pode ser exercido a partir da utilização de um instrumento de comunicação, a exemplo da Rádio Poste. Segundo Vandalva Oliveira a Rádio Poste é uma garantia do direito a essa comunicação comunitária e democrática, onde se produz e recebe de dentro, não apenas de fora. Nesse sentido, “a Educomunicação é uma forma de promover comunicação respeitosa, democratizada, onde as pessoas não são receptoras, mas também produtoras de comunicação”, frisou Vandalva.





Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC - PCOM