Cores, aromas e sabores marcaram a 1ª Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Fátima

Cores, aromas e sabores marcaram a 1ª Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Fátima

06/09/2018

#MOC_PorumSertaoJusto


Cheiro verde, sabores adocicados e deliciosos, aromas incríveis, cores e texturas deslumbrantes, tudo isso caracterizou uma diversidade diferenciada de produtos oriundos das mãos de agricultores/as, produtores/as, empreendedores, ou seja, homens e mulheres que plantam a diferença e colhe a riqueza de mais possibilidade dentro dos saberes, sabores e fazeres do campo, na caminha de luta e resistência pela convivência com o Semiárido, que motivou a realização da 1ª Feira da Agricultura Familiar e Economia Solidária de Nova Fátima, que aconteceu nesta quinta-feira (07) de setembro.

A Feira que despertou a atenção dos nova-fatimense e municípios vizinhos foi organizada pela Associação de Pequenos Produtores da Comunidade de Alto Bonito de Manoel Grande e do Sindicato dos Trabalhadores/as Rurais de Nova Fátima (SINTRAF), contando com a parceria do Movimento de Organização Comunitária (MOC), Cooperativa Agroindustrial de Nova Fátima (COOPER Fátima), União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Econômica Solidária (UNICAFES), Centro Público de Economia Solidária (CESOL), Sicoob Coopere, Banco do Nordeste (BNB) e Prefeitura municipal através da Secretária de Agricultura Familiar.

Além da exposição das variedades de produtos da agricultura familiar, como também muitos artesanatos, que poderia ser adquiridos com a moeda , a Feira contou com a alegria das apresentações culturais, oficinas temáticas e mesa de saudação, com a participação de representações importantes nessa trajetória de lutas da agricultura familiar e economia solidária como também na organização da Feira, que promoveu espaços de trocas, ampliando redes de produtos e comercialização locais, garantindo maior visibilidade e autonomia aos agricultores/as na busca do fortalecimento da sua identidade e luta pelos direitos. 

“A gente descobriu que essa Feira era um sonho sonhando junto, e por ser um sonho sonhado junto ela se tronou realidade e está aí a 1ª Feira de Agricultura Familiar de Nova Fátima, não temos a menor dúvida que outras viram(...). Eu trago o abraço do MOC e o compromisso com o fortalecimento da agricultura familiar e economia solidária, nosso trabalho que luta pela educação do campo, pela igualdade de homens e mulheres, por empreendimentos fortalecidos, por água com produção de alimentos saudáveis, toda essa trajetória do MOC bem definida em seus programas, é a externarção e a materialização do compromisso que nós temos com o desenvolvimento das pessoas  e das suas comunidades”, ressaltou a fatimense Vandalva Oliveira Coordenadora Pedagógica do MOC, chamando ainda atenção para a retomada urgente dos direitos que estão sendo cortados no contexto atual político do país, sendo preciso retroalimentar a esperança das mudanças necessárias neste cenário.

Durante o dia também ocorreram oficinas com diversas práticas e temáticas como, os desmonte da atual conjuntura política e seus impactos nos direitos do povo, além de atividade lúdica com crianças e adolescentes, teve ainda a produção e sabão reaproveitando o óleo de cozinha e ainda a confecção de temperos caseiros. Na oportunidade, um espaço para palestras relevantes para a sociedade, como a Campanha do Setembro Amarelo, que busca quebrar alguns tabus que cercam um problema social que tem crescido nos últimos anos no país, o suicídio.

Todo esforço e correria em volta da Feira, consolidou-se no valeu a pena, como ainda na gratidão de que corroborou grandemente e acreditou que era possível construir um espaço de comemorar, trocar, valorizar, comercializar e fortalecer a agricultura familiar e a economia solidária do município.



Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC - PCOM