Seminário Territorial do Portal do Sertão sobre Conjuntura Política e Eleições 2018 aconteceu em Feira de Santana

Seminário Territorial do Portal do Sertão sobre Conjuntura Política e Eleições 2018 aconteceu em Feira de Santana

15/08/2018

Com muita resistência e insistência organizações sociais e populares, movimentos sindicais e demais militantes, vêm mobilizando e articulando o fortalecimento da luta por garantia de direitos, com formações que ampliam os horizontes sobre os desmontes do Cenário Político atual no Brasil. Por isso, como resultado da multiplicação do Seminário Político que foi realizado no final do mês passado, aconteceu na terça-feira (14) de agosto o Seminário Territorial do Portal do Sertão sobre Conjuntura Política e Eleições 2018, organizado pela Articulação no Articulação Semiárido Brasileiro (ASA-Bahia), Fórum Baiano de Agricultura Familiar (FBAF), Articulação de Agroecologia da Bahia (AABA) e Central Única dos Trabalhadores (CUT-Bahia).

“Por isso vem entra na roda com a gente também, você é muito importante”. E assim, convidando e instigando as todas as mãos para lutarem juntas, que se iniciou o Seminário, que teve em sua programação na manhã uma saudação e explanação sobre esse processo de formação, contando com a participação de diversos municípios que fazem parte desse Território, diante das contribuições de Célia Firmo (FBAF), Naidison Baptista (ASA-Bahia), Conceição Borges (CULT-Bahia), Ana Cláudia (FETRAF), Dinorah (CODETER) e Lariane Santos (UNICAFES).

“A gente precisa refletir como de fato estamos exercendo a nossa cidadania (...). Não existe cidadania onde existe fome, se a gente tá vendo tanta coisa acontecendo contra nós, então é porque de fato nossa cidadania não está sendo exercida. Então a gente se desafiou a buscar formas de como refletir a nossa cidadania, e esse seminário é para a gente pensar sobre isso”, ressaltou Celia Firmo (FBAF).

A vice-diretora da CUT-Bahia também destacou que a mudança nesse cenário desastroso de perca de diretos diariamente, estão nas mãos, vozes e atuações do povo. “A gente precisa saber quem são os golpistas, que estão votando contra nossos direitos (...). Então vamos votar consciente elegendo aqueles que realmente vão representar nossos interesses”, frisou Conceição Borges.

Para aprofundar a reflexão nessa linha, o militante Naidison Baptista trouxe a ideia de dois grupo existente no Brasil, citando que de um lado estão as pessoas que só querem acumular e do outro lado os que preferem partilhar, dividir, multiplicar, querem que todas as pessoas tenham direito. “Quem gosta do verbo acumular é contra o direto do povo, já quem gostam do verbo dividir, gosta dos direitos das pessoas, direito a uma vida decente (...). Então nós botamos eles lá para nos representar e eles estão votando contra nossa vida, contra a nossa proposta, contra o direito de a gente viver bem. Então vamos arregaçar as magas, conversar com as pessoas sobre isso, e eleger político do nosso lado”, enfatizou o Coordenador da ASA-Bahia.

Após esse diálogo, que reafirma o lado que se deve seguir, sendo esse que representa os direitos do povo, foi levado essa discussão e reflexão para grupos de trabalhos, nos quais foram aprofundados e pensados nas propostas que os municípios dessa luta diária colocasse para serem levados aos candidatos, aqueles/as que realmente estão representando o povo, como também ações para trabalharem em suas bases. Mais tarde na plenária, as sínteses desses materiais foram socializada.

Na oportunidade, pré-candidatos daqueles/as que representam a classe trabalhadora pelo/para os povos estiveram presentes ouvindo as propostas, as demandas e os lamentos, debatendo e expondo também suas propostas e ideias de governo, sendo esse participativo e democrático, assegurando o acesso as políticas públicas como Direito.



Por: Robervânia Cunha
Foto: Alan Suzart
Programa de Comunicação do MOC - PCOM