MOC participou de debate da Rede de Combate ao Racismo no 25 de Julho - Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra

MOC participou de debate da Rede de Combate ao Racismo no 25 de Julho - Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra

26/07/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

O dia 25 de julho celebra no Brasil o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, essa data foi instituída através da Lei nº 12.987/2014, uma inspiração vinda do Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, marco internacional da luta e da resistência da mulher negra, criado em 25 de julho de 1992, durante o 1º Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, na República Dominicana, por isso, essa data é dedicada à mulher negra no Brasil e no mundo, representada por Benguela que foi homenageada  através dessa Lei.

Nascida no século XVIII, Tereza de Benguela chefiou o Quilombo do Piolho ou Quariterê, nos arredores de Vila Bela da Santíssima Trindade, no Estado do Mato Grosso, sob seu comando, a comunidade cresceu militância e na econômica, incomodando o governo escravista. Após ataques das autoridades ao local, Benguela foi presa, vindo a suicidar-se após se recusar a viver sob regime de escravidão.

A celebração da data tem o objetivo de ampliar e fortalecer organizações de mulheres negras, construir estratégias para a inserção de temáticas voltadas para o enfrentamento ao racismo, sexismo, discriminação, preconceito e demais formas de opressão. A ocasião sugere a ampliação de parcerias para dar visibilidade à luta e às ações, promoção, valorização e debate sobre a identidade da mulher negra brasileira.

Diante disso, vale ressaltar, que uma das linhas de lutas e defesas do Movimento de Organização Comunitária (MOC) é justamente contra todos os tipos  de discriminações, preconceitos e violências, por isso íntegra a Rede de Enfrentamento ao Racismo Institucional do Território do Sisal, que foi criada a fim de denunciar o racismo que acomete vida de homens e mulheres de toda a região e vem se reunindo desde abril de 2018 fomentando ações de enfrentamento a essa realidade que é velada por parte de muitos municípios.

A Rede segue o proposito de denunciar o Feminicidio e Genocídio da juventude negra do território, composta pelos municípios de Queimadas, Serrinha, Conceição do Coité, Ichu, Retirolândia, Santa Luz, Valente, Itiúba. Já foi realizado uma Audiência Pública no município de Serrinha e estar sendo encaminhado um debate político acerca do assunto e outra Audiência a nível territorial.

Assim, nesse dia 25 de Julho, aconteceu no município de Conceição do Coité, mais uma reunião para debater mais sobre a Audiência Pública, além de deixar encaminhado ainda o debate político nessa pespectiva de criar mecanismo de enfrentar e comater a violência ao racismo. A técnica do Programa de Gênero( PGEN/MOC) Ádila da Mata esteve presente contribuindo com essa construção e fortalecendo essa luta.


Por: Programa de Comunicação do MOC 
Informações: Ádila da Mata (PGEN/MOC)