MOC realizou Oficina de Boas Práticas de Fabricação e Alimentação Saudável em Riachão do Jacuípe

MOC realizou Oficina de Boas Práticas de Fabricação e Alimentação Saudável em Riachão do Jacuípe

17/07/2018

#MOC_PorumSertãoJusto
 
Foi realizada na última segunda-feira (16), na comunidade de Mandassaia 2 no município de Riachão do Jacuípe de julho, uma Oficina Municipal com empreendimentos sobre Boas Práticas de Fabricação e Alimentação Saudável, que faz parte do projeto Saberes e fazeres do Semiárido: direito à educação e alimentação saudável, desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC) em parceria com a Terre des Hommes Suisse (TDH), tendo como objetivo Garantir o direito à alimentação de qualidade para crianças e adolescentes do semiárido baiano e suas famílias, através do fortalecimento dos processos de educação contextualizada e do fomento de práticas de produção, comercialização e consumo de alimentação saudável.

A atividade aconteceu no empreendimento Quitutes Dona Izabel, mas contou com a participação de membros dos empreendimentos do município, ministrada pela nutricionista Sara Geisa técnica do Programa de Fortalecimento de Empreendimentos Econômicos Solidários (PFEES/MOC), que na oportunidade abordou sobre Boas práticas de fabricação, dando inicio com a dinâmica sobre a higienização correta das mãos onde pôde observar as áreas que comumente ficam sem serem devidamente limpas, o que pode ocasionar a contaminação dos alimentos.

Em seguida, foi produzidos bolinho de espinafre, banana e batata doce chips feitos com alimentos da Agricultura Familiar. Além de contribuir para segurança alimentar e nutricional dos agricultores e das escolas que consomem esses alimentos. Resultando assim no feito e proposito da atividade, que gira em torno de incentivar os empreendimento da Agricultura Familiar à variar a produção de alimentos, que além de bons para serem comercializados possam favorecer uma alimentação adequada e saudável utilizando os produtos sem adição de aditivos químicos e conservantes. 



Por: Robervânia Cunha 
Programa de Comunicação do MOC