Projeto Parceiros/as por um Sertão Justo realizou oficina de Educomunicação em Serrinha

Projeto Parceiros/as por um Sertão Justo realizou oficina de Educomunicação em Serrinha

26/06/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

Dinâmicas, risos, brincadeiras, bons sentimentos e muitas troca de saberes caracterizam mais uma Oficina Municipal de Educomunicação e produção de peças de Comunicação com Crianças e a Adolescentes, realizada nessa terça-feira (26) de maio, na comunidade de Malhada do Alto, município de Serrinha, pelo projeto Parceiros/as Por um Sertão Justo desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC) em parceria com a Actionaid, que comunga junto ao MOC da luta pelos direitos humanos, em especial para as Crianças e Adolescentes.

A atividade que começou com apresentação, interação e integração entre os participantes, seguiu pela construção do mapa das comunidades presente, sendo elas: Boa Vista 2, Chapada, Malhada do Alto, Subaé e Trocado, através de desenhos, mostraram um pouco do que tem no campo cultural, social, de direitos, entre outros, contando ainda o que falta conquistar para melhorar a vivência e convivência em seus lugares. Com a apresentação foi puxada uma prosa sobre o que sinto, vejo e ouço sobre minha comunidade, percebendo assim a diferença do receber comunicação/informação e do produzir de forma popular e como direito, a comunicação que realmente exibe um Semiárido de possibilidades e superações, que busca constantemente suprir seus anseios.

Dando continuidade as reflexões, entre uma brincadeira e outra, a comunicação de massa e comunicação popular foram pautadas por vídeo animado (da internet), passando sobre alguns meios e peças que existem para comunicar os anúncios e denuncias nesse Sertão. A atividade contou com a facilitação de Robervânia Cunha do Programa de Comunicação do MOC, como também da jovem multiplicadora desse projeto Maria de Fátima Araújo.

Na prática, escolheram pautas para tratarem de suas comunidades e uma forma de comunicação para apresentarem o assunto, entre essas, fotos, vídeo e boletins foram produzidos, falando do posto de Saúde e Escola que precisam em Boa Vista 2, das melhorias para a escola de Subaé, ambos os grupos seguiram a linha de compartilhar o que falta em suas comunidades. Isso colabora na percepção de como podem usar a redes sociais (demais meios) que são mais acessíveis a muitas dessas comunidades, com benefícios e contribuições aos desenvolvimentos e protagonismos locais

Pode-se dizer que uma semente foi planta no coração e muitas ideias podem ser despertadas, nas cabeças dessas crianças e adolescentes, na certeza que muito podem fazer para comunicar as lindezas desse Semiárido assim como buscar e reivindicar junto ao poder público seus anseios, pautando a comunicação para além de direitos de produção mais como construtor de conhecimentos que fortalece a convivência com Semiárido. "Só se constroi um outro Semiárido com Comunicação Popular".



Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC (PCOM)