Feira Agroecológica de Conceição do Coité comemora um ano de existência e persistência no Semiárido baiano

Feira Agroecológica de Conceição do Coité comemora um ano de existência e persistência no Semiárido baiano

08/06/2018

#MOC_PorumSertaoJusto

Agroecologia é vida! Esse é o lema que embala a resistência das Feiras Agroecológicas espalhadas pelo Semiárido baiano, a exemplo da Feira do município de Conceição do Coité, no Território do Sisal, na Bahia, que comemora nesse dia 08 de junho, um ano de existência e persistência na perceptiva da Convivência com o Semiárido, que gera autonomia, liberdade e dignidade para as famílias agricultoras e produtoras do campo, no processo de vivência e permanência no seu lugar, afinal, como dizem por aí, “Se o campo não planta, a cidade não janta”.

A Feira Agroecológica está recheada com uma diversidade de produtos da agricultura familiar, como hortaliças, frutas, legumes, feijão, ovos caipiras e muito mais, com características e essências em um modelo de produção de alimentos saudáveis, que respeita e convive em harmonia com a natureza, que preserva, cuida da terra, das águas, das sementes, que se baseia nesses princípios que contrapõe o modelo do agronegócio.

Segundo o técnico Urias Rios do Programa Água, Produção de Alimentos e Agroecologia (PAPAA) do Movimento de Organização Comunitária (MOC), que acompanha a Feira e os/as agricultores que nela comercializam seus produtos, essa Feira Agroecológica significa a conquista de um sonho de agricultores/as e entidades que trabalham com esse processo sustentável e agroecológico, que vem se consolidando nesse ano, reafirmando e fortalecendo a importância desse produzir de maneira natural, sem uso de agrotóxicos, tendo um espaço diferente para comercializar e findar a confiança com o consumidor de uma produção de alimentos livre de veneno.

“Foi um ano de muitas lutas, desafios e conquistas, um sonho que ainda caminha um pouco tímido, principalmente na valorização e reconhecimento dos consumidores, mas que está sendo de fundamental importância tanto no prover saúde, como no desenvolvimento sustentável e econômico do município, além de garantir a renda da agricultura familiar e permanência dessas famílias no campo, já se ver também a felicidade de quem compra e mais ainda de quem produz”, frisou o técnico Urias.

“A Feira é uma família”, comentou a agricultora Genilda Santos da comunidade de Sambaíba, que faz parte da Ferinha, como chama cariosamente, a Feira Agroecológica, complementando que ainda precisam melhorar muita coisa, mas estão se organizando para isso, contando também que é um espaço que ajuda a vender tudo que ela tem na própria roça.

A Feira acontece na Praça do Mercado, em frente à Secretaria Municipal de Agricultura do município, todas as quintas e sextas a partir das 5:30 da manhã. E conta  com contribuição do MOC junto a prefeitura municipal através da Secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Economia Solidária e parceira com a COOAFES, SINTRAF Coité, Fundação APAEB e a FATRES.




Por:  Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC