Materiais sobre Educação do Campo Contextualizada foram Lançados em Feira de Santana

Materiais sobre Educação do Campo Contextualizada foram Lançados em Feira de Santana

23/03/2018

MOC_PorumSertaoJusto

À tarde da última quarta-feira 21 de março foi direcionada por um caminhar especial, na qual lançou durante um Seminário realizado em Feira de Santana, Materiais Publicados sobre Educação do Campo Contextualizada fazendo parte do projeto Conhecer, Analisar e Transformar (CAT) e Baú de Leitura desenvolvido pelo Movimento de Organização Comunitária (MOC), há mais de 20 anos, em parceria com a Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), movimentos sociais e sindicais dos municípios de atuação dos projetos, dentro dos territórios Bacia do Jacuípe, Sisal e Portal do Sertão.

No Seminário foram apresentados os resultados da pesquisa realizada pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) sobre a eficácia da Educação do Campo através do projeto CAT, refletiu ainda a importância dessa Educação Contextualizada para a Convivência com o Semiárido e a trajetória do CAT, em seguida lançando os materiais, sendo eles CAT Conhecer, Analisar e Transformar; COMPREENDENDO MELHOR OS DIREITOS E O SISTEMA DE GARANTIAS DE DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES; Contando Nossa História Construindo Cidadania.

Na mesa de saudação estiveram presente se a Secretária de Educação do Município de Conceição do Coité, Perpétua Sampaio, Representando a Sociedade Civil Nacelice Freitas (Professora da UEFS), um dos diretores do MOC Jorge Nery, Albertino Carvalho (UFBA) e Leidinalva Nascimento (APEB Serrinha). o Seminário contou ainda com a participação de secretários/as de educação, coordenadores municipais do projeto CAT e Baú de Leitura, Sociedade Civil de diferentes órgãos, além da Coordenadora Pedagógica do MOC Vandalva Oliveira, bem como a equipe do PECONTE que articulou toda organização do lançamento.

O professor Jorge Nery ressaltou a importância desses três materiais didáticos, que estão a serviço tanto de fazer uma reflexão, como de averiguar de perto o impacto e a
 influencia da educação do campo nos municípios, materiais esses atestados pelas universidades e também pelos agentes envolvidos no processo, auxiliando na formação dos professores, como também no aprendizado e no protagonismo dos estudantes. “Somos agradecidos a todos por estarem engajados nesse processo e buscando em seus municípios uma educação do campo contextualizado, de qualidade, que possa oferecer a nossa juventude, as nossas crianças uma perspectiva de caminhada que ligue com as suas identidades, com os seus pertencimentos e com a qualidade de vida para todos e todas”, frisou Jorge Nery.

A secretaria Perpétua Sampaio abordou a experiência de trabalhar com a educação do campo contextualizada no seu município, afirmando que a proposta da metodologia CAT pelo MOC ressaltava as demais em suas pesquisas para ser aplicada nas escolas do campo. “Depois de cinco anos de caminhada a gente já conseguem fazer uma conversa harmônica entre o CAT e todos os outros projetos que tem na secretaria (...). Esses materiais didáticos vão complementar com aquilo que a gente precisa na caminhada, que estamos tentando aprender cada vez mais”, enfatizou a secretaria parabenizando a equipe do PECONTE/MOC pelos materiais.

A professora Natalice Freitas (CAT/UFBA) fez um dialogo sobre a “A importância da Educação do Campo Contextualizada para a Convivência no Semiárido e a trajetória do CAT”, refletindo sobre olhar dos estudantes universitários sobre a própria realidade do semiárido nordeste, apresentando sempre de maneira negativa, assim como passada nas grandes mídias, como terra  rachada, de fome, de problemas, de miséria e tantos outros pejorativos sobre essa terra e povos, visão essa que vem sendo transformada com o incentivo e trabalho das ações do CAT. “Nesse caso quando falamos da educação do campo contextualizada, do CAT é exatamente no sentido de compreender quem eu sou e onde estou, que o prazer de ser nordestino não é apenas usar chapéu de couro, mas é ter um projeto e defender esse projeto, que mostra e vivencia outra realidade, contrapondo essa que apresentam sobre o nordeste”, afirmou a professora.

Logo em seguida o professor Albertino Lordêlo (UFBA) fez o lançamento dos materiais junto a equipe MOC. “Esse trabalho na relação com a comunidade, na relação com o meio ambiente, no cuidado com lixo, na preocupação em produzir para além daquilo que seus pais produzem nas hortas domesticas, no gosto pela leitura, na importância do espaço escolar, tudo isso transformam e mudam a partir dessa Educação de qualidade que contextualiza sua realidade”, contou o professor da UFBA.

A coordenadora do PECONTE/MOC Vera Carneiro abordou sobre o processo de construção dos materiais, apontando como uma construção coletiva e fruto de um trabalho e uma ação positiva em meio a Educação do Campo Contextualizada. “A importância do investimento na educação contextualizada, o ganho que isso tem para o sujeito, para as pessoas, para o município é muito grande e fundamental, é uma educação que melhora até a sensibilidade humana”, falou Vera.

Segundo Bernadete Carneiro o livrinho “Contando Nossa História” foi construído a partir de uma atividade pedagógica com as crianças que foram pesquisar a história de sua comunidade, sendo realizado na comunidade Quilombola de Humildes de Feira de Santana “Que isso seja um estimulo incentivador para que outras escolas, outras comunidades tenha isso”, comentou Bernadete.

“Esses materiais estão em uma rede e o que o MOC espera e deseja, é que esses materiais sejam sementes, sementes semeadas no semiárido para que possam ter subsídios, para que não sejam somente afeites nas nossas prateleiras, mas que sejam subsídio e luz para iluminar nossos caminhos e fazer florescer no Semiárido vidas com dignidades para as crianças, adolescentes, como também homens e mulheres desse Semiárido”, disse Vandalva Oliveira.

“Então considerem lançados esses produtos”.




Por: Robervânia Cunha
Programa de Comunicação do MOC