Araci realizou Sessão Solene em Homenagem aos 50 Anos de história do MOC

Araci realizou Sessão Solene em Homenagem aos 50 Anos de história do MOC

06/10/2017

#2017MOC50Anos
#PorumSertaoJusto

O Movimento de Organização Comunitária – MOC celebra seu cinquentenário nesse ano corrente, desenvolvendo ações que contribuem para melhoria de vida das famílias no Semiárido baiano, na luta para conquistar e garantir o acesso as políticas públicas como direito. O município de Araci faz parte dessa história e realizou na manhã do dia 05 de outubro, na Câmera de Vereadores Municipal uma Sessão Solene em homenagem aos 50 anos de existência do MOC, reconhecendo a importância de ter esse movimento social trabalhando e articulando junto ao povo à busca por mais autonomia, liberdade, igualdade e dignidade para viver na terra que cada um/uma escolher cravar suas raízes.

Diante de um público que caracteriza a identidade do MOC, a mesa da tribuna foi composta por alguns/as parlamentares, entre Presidente da Câmara Jefson Carneiro, Edineide Pereira, Roberto Souza, Jamile Magalhães, o prefeito Silva Neto, representação da equipe MOC, como Célia Firmo e Francisca Maria Baptista, a diretora nacional da CUT Elisângela Araujo, além de sujeitos protagonistas de suas histórias, que tiveram mudanças a partir das ações do MOC, como:
 
José Eugenio técnico do MOC e diretor da APAEB, Galba Rejane - Educação do campo, Leidiane Santos - Movimento de Mulheres, Cleonice Santana - presidente do Sindicato dos Trabalhadores/as Rurais, Valmir Barreto da Comunicação, José Leoncio das Chagas - Guardião de Sementes, entre outros.

A ideia dessa Sessão partiu da vereadora Edineide Pereira que relembrou um pouco da trajetória do MOC na terra Araciense, ações com agricultores/as, mulheres, jovens adolescentes, entre outras. Como também ressaltou a alegria em abrir a casa para essa homenagem. “Falar do MOC é falar das histórias que ouvimos dos anos setenta e oitenta. É falar de um movimento que lutou e luta por mais direitos para o nosso povo. Estou muito feliz de ter provocado essa Sessão. Uma Sessão de todos/as que vieram prestigiar esse momento tão importante em nossa vida (...). Tenho certeza que o MOC é a nossa mãe da informação, da formação e da construção de dias melhores na nossa vida”, relatou a vereadora.

Célia Firmo (Coordenadora Geral do MOC e Araciense) ressaltou sobre o contexto histórico de muitas dificuldades vividas por famílias rurais, fazendo uma relação das ações de convivências que foram surgindo através do MOC, como: educação através do CAT-Baú de leitura, da educomunicação, nas rádios comunitárias, com construção de cisternas, barreiros-trincheiras, bancos de sementes, grupo de mulheres, cisternas nas escolas nas comunidades rurais desse município. “Se a gente for parar para pensar ao longo desses 50 anos tem um pouquinho do MOC em cada canto dessa cidade”, expressou Célia.

 
“O MOC pra nós é um sentido de vida! Está no MOC é se descobrir gente. Enquanto cidadã de Araci eu também tenho que dizer muito a obrigada ao MOC porque com você eu me tornei gente, com você eu aprendi a ser gente e com você eu ajudo a muita gente viver sendo gentes felizes. Muito Obrigada e vida longa ao MOC e a todos/as de Araci, completou a Coordenadora.

Um momento de grande emoção aconteceu com a entrega das placas com a homenagem ao MOC 50 anos para as pessoas que representam esse marco histórico da instituição, que desbravam por muitos caminhos desse sertão. “A gente luta e sempre lutou nesses 50 anos, temos que reconhecer nossos valores e continuar na busca pelos nossos direitos. Que isso sirva de exemplo para que os jovens de hoje continuem na busca pelos direitos, coletivamente, pois só em grupos se consegue, a união faz a força. Muito obrigada!”, enfatizou Francisca Maria (Dona Chica carinhosamente conhecida), com recebimento da placa para seu esposo Naidison Baptista, grande idealizador e articulador na luta pelos direitos do povo do Semiárido, junto com ela, (dona Chica) que colaborou por muito tempo no processo de educação contextualizada para o campo na equipe do MOC.

"Todo nome tem uma História e toda história tem que ser contada e você faz parte dela, MOC. Reconhecimento aos
 
esboços despedidos por um Sertão Justo", Arancieses.



Por: Robervania Cunha
Programa de Comunicação do MOC